Loja Equipe Marcas Atletas Galeria Contato
 
   
 
 
 
     
   
     
     
 
   
 
 So Pedrada
 Sumafia
   
 
 Facebook
 Orkut
 Twitter
   
 
 100% skate
 COLD SKATEBOARD MAG
 Quadra da Gang
 Swell
 The Berrics
 Transworld Skateboarding
 Trasher Magazine
 Tribo Skate
 U.S.C União dos Skatistas Caxienses
 Vista
   
 
 Surfline
 Waves
   
 
 Banda Natural Dread
 Blog Yerbah
 Faith
 Gravity Bmx
 Infoco Propaganda
 Ninho da Aguias
 Poeta Divilas
   
     
 
 
     
 
22.02.2015
Hip entrevista Patrik Mazzuchini

Salve Patrik! Primeiro, parabéns pelo seu primeiro ano como profissional.

Obrigado família Hip, só tenho a agradecer pelo apoio e ajuda desde sempre. Satisfação em fazer parte desta equipe!

Então, conte um pouco do que você fez nesse seu primeiro ano como profissional?

Esse já foi um ano muito legal para mim, acho que consegui aproveitar da melhor maneira, viajei bastante, fui para algumas competições e também fiz parte de um projeto chamado Cenários, realizado pela Freeday, um dos meus patrocinadores, o que me deu a oportunidade de fazer algumas viagens com meus companheiros de equipe para coletar materiais (fotos, vídeos). Foi bem corrido, porém sensacional, amo estar viajando, andando de skate, conhecendo lugares novos e fazendo novas amizades, estou bem feliz com as realizações desse ano que passou e ansioso pelo lançamento dos matérias coletado, que sai em breve.

 

Ainda como amador, você esteve por 90 dias andando de skate na Europa. Como foi sua experiência? O que você achou da cultura dos países que visitou?

Realmente foi incrível, tive a oportunidade de conhecer diversos picos famosos, lugares perfeitos para andar de skate, e também lugares turísticos e históricos. Poder conhecer e viver um pouco da cultura desses países que visitei foi muito style, aprender um pouco de como são as pessoas de cada lugar, o idioma, a cultura. O que vivi nesses três meses foi uma experiência única, afinal, a primeira vez a gente nunca esquece! (risos)

 

Esse ano você passou por Buenos Aires, Montevidéu e Santiago do Chile, o que você destaca nesses países, e como foi a experiência?

As vezes pensamos em viajar para países como EUA, Austrália, Europa etc. e acabamos não aproveitado lugares como esses, que para nós são bem acessíveis, afinal é bem mais perto e mais em conta. São países lindos, cheios de cultura e coisas boas a oferecer, com pessoas super-receptivas. Para mim valeu muito a pena conhecer esses lugares, fiz muitas amizades, conheci um pouco de suas culturas e gostei tanto que espero poder voltar o quanto antes.

 

E no Brasil, como foi ter ido competir no Ceará e em Curitiba, e visitado Brasília e o Rio de Janeiro?

Essas foram minhas primeiras competições como profissional, então ter participado desses eventos lado a lado com skatistas que são ídolos para mim, só se resume em alegria, esquecendo o lado da competição e aproveitando cada dia de skate!

Já tinha passado pelo Rio de Janeiro e Brasília antes, porém por um período bem mais curto. Dessa vez tive a oportunidade de ficar mais tempo e conhecer melhor cada lugar. No Rio de Janeiro acabamos ficando na Lapa, o que foi bem agitado, pois havia festas praticamente todos os dias. Em Brasília foi um pouco mais tranquilo, porém a quantidade de picos é absurdo nas duas cidades. Brasília é sem dúvidas uma das melhores cidades do Brasil para o skate de rua.

 

Como você descreve viajar para andar de skate, como é a rotina?

Quando estou em casa basicamente meus dias são andar de skate, também tenho alguns afazeres, mas inevitavelmente acabo caindo na rotina e indo sempre aos mesmo lugares. Viajar já é algo incrível, a sensação de coisas novas e inesperadas é muito boa, não chega a dar tempo de cair na rotina. Mesmo andando de skate todos os dias, sempre há algo diferente, em lugares diferentes, então isso torna cada sessão única e divertida. 

 

Qual lugar que você mais se divertiu? Onde foram as melhores festas e as mulheres mais bonitas?

Me diverti em todos os lugares, cada um teve aquele rolé especial e aquela vontade de ficar por mais tempo. E em relação às mulheres, consegui admirar a beleza delas em todos os lugares que fui. Mas as brasileiras, aiaiai, sempre têm algo especial, né?! (risos)

 

E os melhores picos?

Gostei muito do Chile e dos picos de lá, mas no Brasil acho que Brasília é algo inexplicável em questão de picos. Muitas opções, para todos estilos de skate!

 

Quais são seu planos para 2015?

Quero continuar na mesma pegada desse ano, viajar bastante, filmar para minha vídeo parte e focar bastante nisso para concluir alguns projetos que estão em andamento.

 
21.02.2015
Passaporte Hokcs
 
 
06.02.2015
Serrando Tudo!
 
 
24.01.2015
Gabriel vivendo no mundo real
 
 

Gabriel In The Dreamscape // Introduction from Eric Lerner on Vimeo.

 
26.12.2014
Making Of "Por Trás do Gorro Vermelho"
 

Making Of Por Trás do Gorro Vermelho from Hip Muito Além do Skate on Vimeo.

 
24.12.2014
POR TRÁS DO GORRO VERMELHO
 

Por Trás do Gorro Vermelho from Hip Muito Além do Skate on Vimeo.

 
24.12.2014
3° Etapa do Circuito de Skate da Serra Gaúcha 2014
 
 
17.12.2014
A FORÇA DA MÚSICA DE RAIZ
Natural Dread!
Apos Um ano de trabalho, dedicação e amor ,,, está ai nosso novo filho, gravado em caxias no Roots Rock Records , produção de Juliano Moreira , Roger Rafael Marques e Natural Dread Reggae Raiz , masterizado no Anchor Recording Studios Kingston Jamaica , participacões especias Rodrigo Piccolo e Frodo Leonardo ,,, esta na mão " A Força da Música de Raiz" chega na Hip Mads e garante o seu, paz e uma ótima semana!!!!!


 
 
   
  hip@hip.esp.br - (54) 3214.8929 - Na Visconde, esquina com a 18. Caxias do Sul - RS.
Todos os direitos reservados. HIP Muito além do skate 2008.

Desenvolvido por INFOCO